sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Rosa do sertão


Texto denso, palavras pesadas, algumas inventadas. Leitura difícil, e, por isso, fascinante e instigante. Assim, as pétalas de Rosa descrevem o sertão. Nonada e notudo, sua vida, sua escrita, sua invenção.

Os ventos da vida levaram Rosa para longe, mas suas raízes ficaram fincadas na terra sertaneja. Em cada país aonde Rosa, o Guimarães, ia, levava consigo a paisagem mineira, a vida nas fazendas e a linguagem pitoresca do povo. Escrever o sertão era a sua forma de reviver a infância e a adolescência.

Desde cedo, Joãozito divertia-se estudando idiomas. Poliglota por excelência, por gosto e diversão, criava suas pétalas a partir da cultura popular.

Como reconhecimento de seu talento, João finalmente assume uma cadeira na ABL. Talvez pressentindo o inevitável, em seu discurso de posse, diz: "... a gente morre é para provar que viveu". E, Apenas três dias depois, João provou que viveu.

O gênio Rosa teve vida curta, mas suas pétalas jamais morrerão!

Sim, respondo a Drummond: João era fabulista, fabuloso, fábula. Tinha pastos, buritis plantados, não no apartamento, no peito sim. Guardava rios no bolso. João era tudo escondido, florindo como flor é flor, mesmo não semeada. Embaixador do reino que há por trás dos reinos, o Reino das Palavras. Palavra-pedra-pétala de Rosa-Guimarães-João.

10 comentários:

Josely Bittencourt disse...

Quando fui à Três Marias, uma viagem super cansativa de ônibus, passei por Maquiné, proximidades de Cordisburgo, cidade natal do Rosa, vi uma placa: "Museu Guimarães Rosa". Imagina a vontade nesta hora...e o pior: a parada do ônibus era em um posto em frente a placa que indicava o caminho do museu...

rs


Flor, bjim.

Carla disse...

Acho q eu ñ resistiria à tentação d seguir o caminho indicado na placa.

BJo

Luiz Caio disse...

Oi flor! Como vai!
A morte prematura é muito triste! Mas há pessoas que vêm ao mundo com uma missão muito especial... Cumprem-na, e se vão deixando muitas saudades, e alguma herança eterna...

OBRIGADO PELA VISITA, E AS PORTAS ESTÃO SIM, E ESTARÃO SEMPRE ABERTAS EM QUALQUER MOMENTO EM QUE VOCÊ PUDER ME DAR O PRAZER DE SUA VISITA... VOU LINKAR VOCÊ AO MEU BLOG TÁ?

TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA!

Dauri Batisti disse...

Vim agradecer a visita e o comentário que você deixou no "essapalavra". Cheguei aqui e encontrei este texto - lindo - sobre o G. Rosa. Fiquei ainda mais lisonjeado por receber um elogio seu. Sou um amador de palavras, mas você, você entende delas.
Vou adicionar seu "Opuntia" na mimha lista de blogs. Pode ser?
Um beijo.
Dauri

Nanda Nascimento disse...

Obrigada pelas palavras deixadas no nosso jardim, e o texto do Guimarães está genial.

Beijos e flores!!

bsh disse...

Perfeito.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Jacinta Dantas disse...

É menina,
seu texto, bonito e delicado, é também, uma bela homenagem à imortalidade do Ser através das letras. Todos os aplausos a G. Rosa. Viva!

Ilaine disse...

Opuntia!

Que suave e linda escrita a sua. Um belo texto falando de G.Rosa e de seu sertão.

Parabéns por seu blog, menina-flor.

Bj

GAZUL disse...

O Rosa arrasou com as rosas, Diadorim que sim!

Jorge Elias Neto disse...

Passei pela mesma frustação da JÔ.
Estive com Cordisburgo.
Tentei ir na casa de GUIMARÃES ROSA, mas estava fechada...

Abraços,

Jorge Elias